Fórum Sexualidade
Olá, Convidado, seja bem-vindo ao Fórum Sexualidade.

Aqui você terá espaço para falar sobre diversos temas da sexualidade humana sem tabus, podendo compartilhar e aprender com todos os outros membros.

Além disso, você encontrará diversas discussões e informações sobre os mais variados temas da atualidade.

Somente membros podem visualizar alguns assuntos, portanto, não perca tempo e cadastre-se, participe das discussões.

Este fórum é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox 3.6 com a resolução de tela 1024 x 600 ou superior.

Divulgue-nos também.
Atenciosamente,

Equipe do Fórum Sexualidade.

Conectar-se

Esqueci minha senha

Painel do Usuário
Convidado


PAINEL DE USUÁRIO




MENSAGENS PRIVADAS
Últimos assuntos
» Site que envolve arte e sexo
Qui 30 Jul 2015, 08:42 por strubloid

» Arte mais sexo
Qui 30 Jul 2015, 08:40 por strubloid

» Sou doente ou ele já não me quer?
Ter 14 Jul 2015, 09:22 por rqhb

» Mulheres mais velhas gostam mais de sexo do que as mais novas, diz estudo
Sex 24 Abr 2015, 20:08 por Elisa Margotte

» Seguro de mais a ejaculação e acabo não gozando!
Dom 22 Fev 2015, 03:45 por Magusto

» Pílula
Qui 05 Fev 2015, 19:21 por Sofia Matias

» Mostrar o corpo na webcam para ganhar um Dinheiro Extra
Qua 28 Jan 2015, 12:20 por PixudoTesudo

» Preocupação dupla...
Qui 27 Nov 2014, 15:57 por Victor13

» Daniel Denardi, ao seu dispor
Qui 02 Out 2014, 20:56 por dandenardi

Votação

O que pensa sobre aborto:

27% 27% [ 12 ]
11% 11% [ 5 ]
11% 11% [ 5 ]
50% 50% [ 22 ]

Total dos votos : 44

Novidades do Blog
Veja também
Formspring.me

OrkutTwitter

Cantinho da Éris
Visitas

PageRank
Donde vêm

Sexualidade e crianças: Franqueza, mas sem exageros

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Sexualidade e crianças: Franqueza, mas sem exageros

Mensagem por Novato em Qui 05 Ago 2010, 09:19

Especialistas orientam os pais a responder direta e naturalmente às perguntas sobre sexo disparadas frequentemente por crianças, por mais delicadas que pareçam. Essencial é não mentir, mas também evitar o excesso de detalhes

A professora Ana Paula Lustosa, 36 anos, assistia à televisão quando sua filha Anna Gabriela, 7, virou-se e perguntou: “Mamãe, você faz sexo?” Ana Paula ficou catatônica. A professora respirou fundo, olhou para a filha — que a encarava fixamente, com os olhos brilhando — e respondeu: “Sim, minha filha, a mamãe faz sexo”. Em seguida, a menina perguntou: “Como, mamãe?” Além do susto e da reação envergonhada, o que mais passou pela cabeça de Ana Paula foi a perplexidade relativa a como uma menina naquela idade se mostrava tão curiosa sobre sexo. Curiosidades como a da pequena Anna Gabriela deixam qualquer adulto, por mais moderno que seja, constrangido. Agora, imagine para os pais, que precisam lidar diretamente com a situação. A maioria não sabe como responder, como se comportar, ou, ainda, se devem responder sobre algo tão “delicado”. Os especialistas, porém, são categóricos: os pais não devem deixar de responder.


Devem, contudo, agir da forma mais natural e verdadeira possível, sem ir além da curiosidade da criança. “Falar sempre a verdade, com naturalidade e objetividade, é o caminho correto. O que não pode é falar de menos — nem demais”, esclarece a psicóloga e professora da Universidade de Brasília (UnB) Ângela Branco.


Segundo os especialistas, é a partir dos 2 e 3 anos que costumam surgir as primeiras perguntas sobre sexualidade. No entanto, um dos primeiro interesses demonstrados pelas crianças é sobre a diferença entre os gêneros. De acordo com Branco, a criança vai aprendendo a chamar o menino de menino e a menina de menina e quer entender o porquê. “Os pais vão ter que ir respondendo na mesma proporção dessa curiosidade”, afirma.

O que a psicóloga quer dizer é que os pais não devem falar além do que a criança quer saber, como, por exemplo, dar uma aula sobre sexo. “Isso é totalmente inapropriado, até porque a criança não tem condições de entender com muita clareza o tema.” Ângela reforça que os pais têm que ajustar suas respostas, e as próprias conversas sobre o assunto, de acordo com o nível e, principalmente, com o tipo de curiosidade que a criança tem. “O que não pode é negar informação, seja por uma questão de tabu ou por achar que está muito cedo para falar sobre sexualidade”, garante.

Percepção
A psicóloga explica que, se os pais sonegam a informação, a criança percebe que há alguma coisa errada, e isso pode criar um problema sem necessidade. “Criança não é boba. Ela vai notar que os pais não tratam aquilo com naturalidade, vai continuar com a curiosidade e vai atrás dos colegas ou da internet”, diz Branco. “Além disso, pode gerar uma curiosidade excessiva”, completa.

Mesmo assustada, a mãe de Anna Gabriela respondeu com naturalidade à pergunta da filha. “Expliquei a ela que o sexo é uma forma de fazer bebês e que deveria ser feito com alguém que a gente ama e tem confiança. Depois disso, ela virou-se e continuou vendo televisão como se nada tivesse acontecido”, relata Ana Paula.

O mesmo tipo de comportamento claro e natural deve ser adotado quando os pais flagram os filhos tocando nas genitálias ou mesmo se masturbando. “Sem sustos, é completamente natural”, sustenta a psicopedagoga Márcia Gomes Fernandes. Isso porque desde bebês as pessoas se tocam, como uma forma de reconhecimento e de prazer. “Os bebês, por exemplo, têm prazer quando sugam o seio da mãe. O mesmo acontece quando as crianças se masturbam, seja se tocando ou se esfregando. É algo prazeroso e que não deve ser recriminado ou proibido.”

Os especialistas também afirmam que informar corretamente à criança sobre sexualidade é protegê-la de possíveis abusos. Segundo Márcia, quando a criança sabe o que é sexo, ela mesma se protege de abusos que possam ocorrer. “Sanando a curiosidade do filho em relação à sexualidade, os pais devem dizer que criança não faz sexo; criança brinca. Aproveitando para dizer também que o adulto não pode tocá-la”, defende.

Adolescência
Em geral, as questões sobre a sexualidade começam a ficar mais frequentes quando a criança se aproxima da puberdade. Nesse momento, as perguntas vão ficando mais específicas e as respostas dos pais também. “Aí sim, seja o pai ou a mãe — aquele que tiver mais tranquilidade para falar do assunto — deve ter um diálogo maior, colocando sempre juntos a sexualidade com a afetividade e cuidados para se ter um sexo saudável e sem risco de gravidez”, esclarece Ângela Branco.

De acordo com Ângela, é importante conversar com o adolescente sobre a relação entre sexualidade e afetividade. Ao mesmo tempo, os pais devem deixar claro que o sexo não é nenhuma obrigação só porque o filho virou adolescente e acha que precisa arrumar um parceiro sexual de imediato, para não ficar atrás dos colegas. “Esse diálogo leva à criança a ter a confiança em dizer sim ou não”, afirma Ângela.

A funcionária pública Ana Cláudia da Castro, 33 anos, tem uma ótima relação com o filho Caio , 9, mas não sabe como conversar com ele sobre questões da sexualidade. “O Caio nunca me perguntou nada sobre sexo. No entanto, me preocupa o fato de ele estar saindo com uma turma em que já rolam paqueras, namoros, e ele não conversa sobre isso comigo”, diz. Ana Cláudia sente que precisa estar mais presente nessas questões, mas não sabe como se comunicar com o filho. “Não quero invadir a vida dele, apenas orientá-lo de forma correta. Quero passar a ele que o respeito — a ele e ao outro — deve estar cima de tudo.”

Ana Paula Lustosa, mãe da pequena Anna Gabriela, a dona das perguntas “delicadas”, lida de forma diferente com a filha mais velha Ana Luíza, 11 anos. Com ela, Ana Paula sonda para saber até onde a filha sabe sobre sexo. “Puxo assunto sobre namoro, sobre as mudanças do corpo e me mostro aberta. Além disso, estou atenta ao seu comportamento, ao que ela escuta, lê e se comunica na internet”, diz a professora.
Fonte: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
Novato
Notificador
Notificador

Masculino Libra Cabra
Primaveras Primaveras : 26
Mensagens Mensagens : 229

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum