Fórum Sexualidade
Olá, Convidado, seja bem-vindo ao Fórum Sexualidade.

Aqui você terá espaço para falar sobre diversos temas da sexualidade humana sem tabus, podendo compartilhar e aprender com todos os outros membros.

Além disso, você encontrará diversas discussões e informações sobre os mais variados temas da atualidade.

Somente membros podem visualizar alguns assuntos, portanto, não perca tempo e cadastre-se, participe das discussões.

Este fórum é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox 3.6 com a resolução de tela 1024 x 600 ou superior.

Divulgue-nos também.
Atenciosamente,

Equipe do Fórum Sexualidade.

Conectar-se

Esqueci minha senha

Painel do Usuário
Convidado


PAINEL DE USUÁRIO




MENSAGENS PRIVADAS
Últimos assuntos
» Site que envolve arte e sexo
Qui 30 Jul 2015, 08:42 por strubloid

» Arte mais sexo
Qui 30 Jul 2015, 08:40 por strubloid

» Sou doente ou ele já não me quer?
Ter 14 Jul 2015, 09:22 por rqhb

» Mulheres mais velhas gostam mais de sexo do que as mais novas, diz estudo
Sex 24 Abr 2015, 20:08 por Elisa Margotte

» Seguro de mais a ejaculação e acabo não gozando!
Dom 22 Fev 2015, 03:45 por Magusto

» Pílula
Qui 05 Fev 2015, 19:21 por Sofia Matias

» Mostrar o corpo na webcam para ganhar um Dinheiro Extra
Qua 28 Jan 2015, 12:20 por PixudoTesudo

» Preocupação dupla...
Qui 27 Nov 2014, 15:57 por Victor13

» Daniel Denardi, ao seu dispor
Qui 02 Out 2014, 20:56 por dandenardi

Votação

O que pensa sobre aborto:

27% 27% [ 12 ]
11% 11% [ 5 ]
11% 11% [ 5 ]
50% 50% [ 22 ]

Total dos votos : 44

Novidades do Blog
Veja também
Formspring.me

OrkutTwitter

Cantinho da Éris
Visitas

PageRank
Donde vêm

Alunos no DF que recebem orientação sobre DST estão abaixo da média

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Alunos no DF que recebem orientação sobre DST estão abaixo da média

Mensagem por Ricardo em Sab 18 Set 2010, 12:06

A moça se coloca diante da turma de alunos da mesma idade e discorre sobre os cuidados que envolvem a prevenção e a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. A coordenadora brinca: “Essa já virou especialista em orientação sobre Aids”. Há dez anos, Sandra Freitas coordena o projeto Educando para a vida no Centro Educacional nº 6, de Taguatinga. O projeto levou o estudo sobre sexualidade para dentro da escola e fez com que estudantes como Priscila Lopes, 16 anos, disseminassem a importância da educação sexual. “Depois de aprender o conteúdo, nos tornamos uma ponte desse conhecimento, dentro e fora da escola”, conta Priscila. A experiência relatada pela estudante não integra, no entanto, uma política educacional de destaque do DF. Segundo a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a média percentual de estudantes do 9º ano (8ª série) do DF que recebe orientação sobre Aids ou doenças sexualmente transmissíveis, prevenção de gravidez, ou aquisição gratuita de preservativo, em escolas públicas e particulares, está abaixo da média nacional.

Entre os dados está a prevenção da gravidez: 80,5% dos estudantes brasileiros são informados na escola pública sobre o assunto, enquanto no DF esse percentual chega a 79,7%.

O alerta sobre o desinteresse por um tema cada vez mais evidente convive com dados que elevam a educação local, quando comparada com a realidade do país afora. A taxa de escolarização líquida — proporção da população em determinada faixa etária que frequenta a escola no nível adequado — dos adolescentes de 15 a 17 anos no Brasil é de 50,9%. No DF, essa taxa é de 64,1%, atrás apenas de São Paulo e da Região Metropolitana de São Paulo (68,8% e 68,3%, respectivamente).

Idosos
O mesmo estudo mostrou ainda que a população de idosos no Brasil já supera a marca de 20 milhões. O perfil desse grupo é de brasileiros com baixa escolaridade, já aposentados e com pouca renda. No Distrito Federal a realidade é um pouco diferente, os brasilienses com mais de 60 anos de idade são mais bem instruídos e remunerados quando comparados com o cenário nacional.

No Brasil, mais de 6 milhões dos idosos têm menos de um ano de estudo. Esse montante representa 30,7% da população com mais de 60 anos de idade. No DF o índice é de 15,7%, mas ainda é considerado alto. Na região, 44,4% dos idosos vivem com mais de R$ 1.020 por mês, no Brasil, apenas 22,9% compartilham da mesma faixa de renda. Para o Coordenador do Centro de Medicina do Idoso do Hospital Universitário de Brasília, Renato Maia, a realidade dos idosos do DF é melhor por causa do grande número de servidores públicos.

O economista Fernando Andaló, 63 anos, representa esse grupo de privilegiados. Andaló chegou em Brasília em 1973 como servidor do Banco do Brasil, onde fez carreira até se aposentar aos 48 anos. “Aposentei cedo, mas continuo trabalhando”, conta.
Fonte
avatar
Ricardo
Aprendiz
Aprendiz

Masculino Capricórnio Cobra
Primaveras Primaveras : 27
Mensagens Mensagens : 60

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum